Marketing Digital

Planejamento estratégico de marketing: como fazer?

O ditado que diz que “marketing é a alma do negócio” nunca foi tão verdadeiro: é quase impossível se manter relevante no mercado sem divulgação. Mais do que isso, fazer um bom planejamento estratégico de marketing é vital para não acabar gastando tempo e dinheiro sem ver resultado algum.

Pensando nisso, veja alguns passos importantes que você não pode ignorar ao fazer esse planejamento!

Entenda seu nicho de mercado e os concorrentes

O primeiro passo para um planejamento estratégico de marketing que dê resultados é entender bem o nicho de mercado em que a sua empresa atua. Isso vai afetar todas as decisões futuras.

Além disso, pesquise os esforços de marketing dos concorrentes. É possível aprender muito sobre o que fazer  —  e o que evitar  —  por observá-los.

Conheça bem seu público-alvo

Como atrair clientes sem saber do que eles gostam? O melhor a se fazer é estudar seus clientes atuais e criar personas, que serão muito úteis na hora de produzir conteúdo e ações que realmente funcionem.

Fazer isso é bem melhor do que usar as velhas técnicas do “achismo” e do “chutômetro” para definir o que será feito, não concorda?

Defina o orçamento de marketing

Definir o orçamento também é um ponto que não deve ser adiado por muito tempo na hora de montar a estratégia.

Apesar de ser perfeitamente possível fazer marketing com um baixo orçamento, ele precisa estar bem claro desde o início. Assim, você evitará planejar ações que são financeiramente inviáveis e acabar precisando refazer parte do trabalho.

Estabeleça metas realistas

Estabelecer metas realistas ajuda a motivar a equipe e colocar um alvo bem específico a ser perseguido. Caso contrário, é muito fácil perder o foco do que precisa ser feito.

Além disso, elas são uma ótima forma de medir o progresso da estratégia e saber se ela está sendo executada como deveria.

Defina os canais e as ferramentas da sua estratégia

Depois de entender bem seu mercado, seu público, o orçamento disponível e estabelecer metas claras, é hora de definir os canais e as ferramentas que vai usar para se comunicar com o público.

Por exemplo, talvez você decida usar vídeos na produção de conteúdo ou perceba que o WhatsApp seria uma boa ferramenta de vendas e relacionamento.

Monte um plano detalhado de ação

O plano de ação vai um pouco além da estratégia. É nessa hora que você junta cada ferramenta ou cada canal escolhido em um cronograma único.

Por exemplo, um roteiro interessante seria: “vamos produzir três posts de blog por semana, sendo um com uso de vídeos, e promover todos no Facebook e no Instagram”.

Não engesse o planejamento

Tudo acontece muito rápido no marketing digital. Então, não deixe que nada do que definiu nos passos anteriores fique “escrito em pedra”.

Esteja atento às mudanças e sempre reavalie se o que está sendo feito é mesmo o melhor para a empresa. Não tenha medo de mudar quando necessário.

Percebeu como fazer um planejamento estratégico de marketing se resume, basicamente, a conhecer bem seu próprio negócio, o mercado em que atua, seus clientes e usar esse conhecimento para se destacar?

Com essas dicas, você está pronto para fazer isso e explorar as incríveis possibilidades que o marketing digital oferece.

E você? Como faz o planejamento de marketing? Já usou algumas dessas dicas e teve bons resultados? Conte pra gente nos comentários!

Veja como triplicar suas vendas com 4 técnicas de SEO

Procurando maneiras de aumentar as suas vendas na internet sem precisar gastar uma bolada em tráfego pago? Então, você veio ao lugar certo, pois vamos apresentar quatro técnicas de SEO matadoras para posicionar melhor a sua página no Google.

Continue lendo para saber mais!

1. Produzir conteúdos épicos no seu site ou no seu blog

Produzir conteúdo para abastecer o seu funil de vendas por meio do seu site ou blog é peça-chave para o sucesso da sua empreitada na internet. E, para nossa sorte, o funil de vendas é terra fértil para disseminar bastante conteúdo de qualidade e atrair mais clientes, consequentemente, aumentando as vendas.

Como fazer isso? Simples! A maioria dos conteúdos que as empresas produzem hoje em dia para seus blogs é puro ruído. É conteúdo quase que replicado de outros sites, sem mudar muita coisa dos concorrentes.

Por isso, a criação de um conteúdo épico é fator mais do que necessário para se diferenciar da concorrência. Você já deve ter lido por aí em algum lugar que “o conteúdo é rei”, certo? Por mais clichê que pareça, há uma razão lógica para isso.

O algoritmo do Google favorece o tipo de conteúdo que se destaca pela sua qualidade. Como ele faz isso? Veja:

  • Tamanho: o Google favorece conteúdos que possuem entre 500 e 1000 palavras na primeira página das pesquisas;
  • Prova social: conteúdo de qualidade recebe mais curtidas, tweets e outras movimentações nas redes sociais, e o Google está ligado nisso, favorecendo conteúdos que são mais compartilhados;
  • Referências: um conteúdo realmente épico vai virar referência para outros posts, recebendo links que vão mandar sinais para o Google dizendo “Olha, esse post aqui é muito bom!”.

Fazer links para outros sites de confiança

Outra boa dica que podemos retirar do “Manual de Técnicas de SEO” é a seguinte: faça links para sites de confiança. “Mas não é importante que os outros sites linkem para mim?”, você deve estar se perguntando. Sim, é! Mas é importante que sejam sites de qualidade para não se comprometer com o Google.

Em 2003, o Google alterou o seu algoritmo para começar a valorizar links de referência, quando um site cita conteúdo de outro. A ideia era incentivar que os posts de qualidade fossem referenciados para que o algoritmo tivesse mais facilidade em encontrá-los.

Assim, existe uma espécie de sistema de recompensa por links dentro do algoritmo do Google. Se você vai falar sobre um assunto e linkar algum site que é considerado como uma autoridade sobre o assunto, então o Google vai ler esse link e pensar “seu site é responsável e cita boas fontes”, aumentando sua reputação aos poucos.

Usar técnicas de SEO em seus vídeos também

Você usa vídeos em sua campanha de marketing digital? Se não usa, está na hora de começar — especialmente porque é possível aplicar técnicas de SEO em vídeos também!

Uma pequena descrição com mais de 200 palavras com a palavra-chave que você deseja rankear vai fortalecer o seu vídeo no concorrido sistema de busca do YouTube, por exemplo. Como a maioria das empresas ou canais não costuma linkar palavras-chave na descrição dos vídeos, a oportunidade de crescimento é muito grande nessa plataforma.

Fortalecer o primeiro link da sua página

Uma das estratégias mais básicas dentro do Inbound Marketing é criar um post que atraia o leitor e depois o direcione para a venda de um produto por meio de um link.

Normalmente, as empresas usam dois links de produtos dentro de cada post: um para convidar o leitor a agir (com um CTA “Clique aqui para comprar” ou algo similar) e outro para fortalecer a página linkada dentro de algum termo interessante (como no termo “comprar vestidos baratos”) — esse segundo link é mais para o Google do que para o leitor.

Como são dois links para uma mesma página, o Google dará prioridade para o primeiro que aparecer no texto. Por isso, quando for linkar a mesma página mais de uma vez em um texto, lembre-se de fortalecer o link que é mais interessante para você.

Gostou das nossas técnicas de SEO para aumentar as suas vendas na internet? Deixe seu comentário dizendo qual dessas técnicas você já conhecia e se já utilizou alguma delas! 

Como colocar links patrocinados na estratégia de marketing?

Grande parte das empresas que buscam estratégias de marketing digital para o seu negócio possuem, basicamente, os mesmo objetivos: dar mais visibilidade à empresa no ambiente virtual, atrair mais clientes em potencial e aumentar as taxas de conversão. No entanto, uma das melhores formas de atingir esses resultados mais rápido é por meio dos links patrocinados.

Tratam-se dos anúncios exibidos no topo da página de resultados do Google e das postagens em redes sociais que aparecem com a marcação “patrocinado”. Criar anúncios até que é fácil, pois as plataformas são bastante intuitivas, mas para ter resultados significativos é preciso muito mais.

Tenha um bom planejamento estratégico, defina os seus objetivos e metas e contrate uma agência de marketing digital com experiência, assim você consegue o retorno que deseja aproveitando ao máximo o seu investimento.

Veja como os links patrocinados são utilizados em uma estratégia de marketing.

Objetivos bem definidos

O primeiro passo é saber por que você quer fazer uma campanha de links patrocinados. Você pode querer divulgar o seu site, um produto, um serviço, construir uma base de clientes com uma landing page, entre outros.

Estabeleça as metas e as formas como os resultados serão mensurados. Você pode acompanhar o desenvolvimento da sua campanha diariamente, mas evite ficar pausando e alterando. Estabeleça períodos para sua campanha e só depois veja se os resultados estão de acordo com suas metas.

Plano de investimento em links patrocinados

Tenha definido o orçamento que você tem para investir com cada ação de marketing, principalmente, em links patrocinados que, possivelmente, serão a maior fatia do seu orçamento.

Tanto os buscadores quanto as redes sociais possuem espaços para anúncios de empresas de qualquer porte e a competição por uma posição é justa — ninguém pode ocupar todos os espaços de anúncios em uma página do Google, por exemplo; é permitido apenas um.

Assim, mesmo com um orçamento baixo, é possível conseguir visualizações no seu anúncio e conversões, quando a campanha é bem estruturada e assertiva.

CPC e CPM

No Google AdWords, você tem opções de como quer pagar pela sua campanha. Uma delas é o custo por clique (CPC), em que você paga apenas quando o anúncio recebe um clique do usuário. Outra opção é o custo por mil impressões (CPM), que considera impressão quando o anúncio é visualizado. Assim, se o usuário viu o anúncio, é descontado das mil impressões que você está pagando, independentemente se recebeu o clique.

Como escolher a forma de pagamento? Se você tem um orçamento limitado, opte por CPC e um limite diário. Se o orçamento é um pouco maior, o CPM é bastante interessante, pois mesmo não recebendo o clique, sua mensagem foi vista pelo usuário, que pode te procurar posteriormente.

Segmentação do público-alvo

Tenha um perfil bem específico de quem são seus potenciais clientes. Pense além das definições geográficas, de gênero e idade, vá além. Pense nos interesses, nas necessidades, nos desejos.

De que forma você procuraria no Google por algo que sua empresa oferece? Coloque-se no lugar dos seus clientes.

Palavras-chave nas estratégias de marketing

Uma das partes mais importantes das campanhas de links patrocinados é a escolha das palavras-chave. Elas são os termos que os usuários escrevem nos buscadores. Se você escolher as palavras corretas, certamente será visto por quem procura o que você está oferecendo e a conversão é mais certeira.

Quanto mais precisas e específicas forem suas palavras-chave, mais qualificados serão os usuários que entrarão no seu site. Fuja das palavras amplas e com alta concorrência e seja mais específico.

Por exemplo, se você oferece um serviço de agência de viagens, não coloque apenas esse termo porque é abrangente, mas faça anúncios diferentes com as opções “onde passar as férias, “melhores destinos internacionais”, “viajar com crianças” etc.

Gostou das nossas dicas de como colocar links patrocinados nas suas estratégias de marketing? Deixe um comentário no post e compartilhe sua opinião!.

Quais as principais estratégias de Marketing Digital para PMEs?

Marketing sempre foi um tema complicado para pequenos e médios empreendedores, pois nem sempre há orçamento disponível para realizar grandes ações de divulgação. Entretanto, com estratégias de marketing digital, é possível desenvolver um bom posicionamento de mercado sem a necessidade de grandes investimentos, atingindo um público maior e mais qualificado, isto é, preparado para comprar.

Quer saber quais estratégias são essas e como elas funcionam?

Publicidade online

A publicidade online, também conhecida como links patrocinados ou anúncios pagos, é um recurso que qualquer empresa pode utilizar para atrair mais clientes na internet, especialmente se você não tem uma presença muito marcante ainda.

Você pode anunciar em ferramentas de busca, como o Google, que dão uma grande visibilidade e atraem potenciais clientes (leads) que estão em busca dos seus produtos e serviços. Pode também criar anúncios para redes sociais, como Facebook ou LinkedIn, captando a atenção das pessoas que interagem constantemente nestas plataformas.

E-mail marketing

Quem diria que o e-mail poderia ser um grande aliado dos pequenos e médios empreendedores, não é? Uma ferramenta utilizada basicamente para o trabalho pode se tornar um poderoso canal de relacionamento com seus clientes.

Utilize o e-mail marketing para manter seus clientes informados sobre sua empresa e para se aproximar de suas leads oferecendo conteúdo interessante e útil, que faça com que eles se lembrem da sua marca sempre que precisarem de alguma coisa.

Marketing de conteúdo

Assim como no universo offline, para atrair mais clientes você precisa mostrar que sua empresa existe. E nada melhor para conseguir isso do que produzir conteúdo que os internautas estão buscando.

Crie um blog para sua empresa e produza conteúdo voltado ao seu mercado, sempre esclarecendo as maiores dúvidas dos seus clientes de forma clara e facilmente compreensível. Elimine os termos técnicos e a linguagem rebuscada do mundo corporativo e adote um tom de conversa em seus conteúdos, para que as pessoas se sintam à vontade ao ler.

SEO

Ter um site, um blog, produzir conteúdo só trará bons resultados se você também tiver uma estratégia de SEO, isto é, práticas de otimização para os mecanismos de busca. Essa otimização é feita a partir da seleção de palavras-chave relevantes para o seu negócio, inserindo-as em todo o conteúdo que você compartilha online para que sua empresa seja facilmente encontrada.

Uma boa estratégia de SEO melhora o posicionamento do seu site ou blog nos resultados de pesquisa, atraindo maior tráfego (visitas). Com mais visitantes conhecendo sua empresa, é possível ampliar seu leque de relacionamentos e, consequentemente, aumentar suas vendas.

Redes sociais

Todo o conteúdo que você criar para o seu blog pode e deve ser compartilhado nas redes sociais, a fim de atrair os usuários que têm o perfil para serem seus clientes. Selecione as redes sociais em que seus clientes têm maior atividade e interaja com eles por meio de conteúdos, perguntas, quizzes, pesquisas, respostas às dúvidas e questionamentos.

Mantenha a regularidade nas suas interações para que sua empresa não seja esquecida e verifique as características de cada rede social para customizar suas estratégias de marketing digital para cada uma delas, visando tirar maior proveito do potencial de viralidade que elas têm.

Inbound marketing

O inbound marketing, ou marketing de atração, é uma estratégia de longo prazo que tem como principal objetivo manter um fluxo constante de leads para a sua empresa. Ele se utiliza do marketing de conteúdo para fisgar os internautas pelo interesse e aplica o e-mail marketing como principal ferramenta de relacionamento com essas leads.

Enquanto você se relaciona com essas pessoas, que ainda não são clientes, tem a oportunidade de educá-las sobre o seu mercado, mostrar a utilidade dos seus produtos e serviços e, assim, despertar a necessidade de compra.

Quando elas sentirem a necessidade de comprar, lembrarão que sua empresa esteve com elas durante todo esse caminho e, naturalmente, terão preferência pelos seus produtos e serviços.

Quer conhecer mais a fundo cada uma dessas estratégias de marketing digital? Então, assine nossa newsletter e fique por dentro de tudo sem se preocupar em ficar procurando na internet!

4 formas de usar marketing para alavancar as vendas

A crise no Brasil se agravou em 2016 e ainda não há perspectivas de melhoras. Diante disso, os empresários buscam alternativas que ajudem a contornar esta situação e manter (ou quem sabe até mesmo aumentar) os lucros de seus negócios.

É aí que surge o marketing digital, estratégia que busca conquistar a atenção do consumidor por meio da oferta de conteúdo útil e relevante para ele.

Mas como utilizar essa técnica para alavancar as vendas? Continue lendo nosso post e aprenda algumas dicas de como usar o marketing para melhorar seus resultados!

1. Abuse do marketing de conteúdo

Um dos pilares do inbound marketing, umas das estratégias de marketing digital, é o marketing de conteúdo. O inbound tem como objetivo conquistar, e não comprar, a atenção do consumidor.

Para isso, utiliza mídias sociais e geração de conteúdo para engajar o cliente com a empresa. Esse conteúdo, que deve ser relacionado ao seu nicho de mercado, deve ser interessante e informativo, criando valor para o consumidor.

Isso significa que o consumidor de hoje, antes mesmo de entender que possui um problema que pode ser resolvido com a compra do seu produto ou serviço, procura se informar por meio da internet.

É aí que você deve estar, em blogs, mídias sociais e fóruns, ajudando o consumidor a entender o que precisa e a percorrer todo o processo da jornada de compra, até virar seu cliente e, posteriormente, fã da sua marca.

2. Crie uma estratégia de SEO

O SEO vem do inglês Search Engine Optimization e se refere àquelas estratégias que buscam colocar sua página na internet nos primeiros resultados dos mecanismos de busca.

A maioria das pessoas dirige a atenção aos primeiros resultados do Google, sendo poucos os usuários que chegam a acessar a segunda página de resultados.

Isso mostra o quanto é importante estar entre os primeiros lugares quando o consumidor pesquisar algo relacionado com seu nicho de mercado. E é isso que o SEO busca.

Por meio de uma estratégia de mapeamento dos principais termos e frases relacionados com seu negócio, busca-se criar conteúdo relevante recheado com esses termos para que, durante o ranqueamento, o Google considere sua página de extrema importância para a pesquisa do seu potencial cliente.

3. Defina suas personas

Uma das grandes vantagens que o avanço da internet trouxe consigo foi a possibilidade de conhecer em detalhes quem é seu cliente. Uma das fundações do marketing digital é justamente desenhar quem são suas buyer personas.

A buyer persona é a representação do seu cliente ideal. Conhecer de perto o perfil das suas personas significa entender o que chama sua atenção, como ela se comunica e quais são suas necessidades.

Isso tudo te ajudará a direcionar suas estratégias e criar conteúdo focado em tópicos que atraiam seus clientes ideais.

4. Meça seus resultados para alavancar as vendas

Antigamente, muito se preocupava com o marketing tradicional por não ser possível medir o retorno dos esforços realizados com essas táticas. Porém, uma das grandes vantagens do Inbound é a possibilidade de mensurar o retorno exato que seus investimentos trouxeram para o negócio.

Através dos chamados KPI’s (indicadores-chave), é possível mensurar o tráfego nas suas páginas e saber se suas ações de marketing estão sendo mesmo efetivas, direcionando investimentos naquelas que mais dão resultado.

Com um bom planejamento de marketing digital é possível não só alavancar as vendas, mas criar um relacionamento forte com o cliente, que se tornará fã da marca, criando uma rede de indicação dos seus produtos ou serviços e aumentando a divulgação do seu negócio.

Pronto para começar a investir nessa estratégia? Assine nossa newsletter e receba gratuitamente muito mais sobre marketing digital no seu e-mail! Caso queira saber mais, confira as 4 tendências quentes de marketing mobile para 2016.

Qual a importância de uma identidade visual bem definida?

Diante da competitividade do mercado, as empresas precisam investir em diversas táticas para que seu negócio se destaque da concorrência.

Nesse contexto, investir em design, especialmente em uma identidade visual, é uma estratégia que vai ajudar a aumentar a visibilidade da sua empresa, o relacionamento com seu público e, consequentemente, o resultado de sua receita.

Para você entender melhor a importância de uma marca bem definida, confira este post que preparamos. Vamos lá?

Dando os primeiros passos

Identidade visual nada mais é do que um conjunto de elementos, como logo, tipografia e paleta de cores que representa visualmente a imagem de uma empresa não apenas para seu público, mas, principalmente, para seus concorrentes.

Por isso, quem não investe em um projeto de design negligencia seu próprio negócio, dando espaço para a concorrência.

Detalhando bem o briefing

Para que a construção de sua identidade visual seja bem-sucedida, é fundamental que você detalhe bem o briefing. Nesse documento, você preencherá uma série de informações sobre o seu negócio em diversos âmbitos, desde a missão, visão e valores da empresa até suas preferências de cores. Dessa forma, o profissional que desenvolverá seu projeto conseguirá chegar a uma solução visual mais satisfatória e com o perfil que busca.

Padronizando sua comunicação visual

Os fatores como cores, tipografias, ilustrações e leiautes em geral serão uniformizados de acordo com o manual de identidade visual, que é um documento que apresenta todos os padrões gráficos a serem seguidos. Por isso, uma marca bem definida te ajudará a padronizar todos elementos de sua comunicação visual, sejam eles online ou offline, agregando muito mais valor ao seu produto ou serviço.

Criando uma identidade visual completa

Não ache que apenas um logo bonitinho basta para chamar sua marca de bem desenvolvida. Um projeto de identidade visual que se preze contempla itens como papelaria básica (cartão de visita, envelope e papel timbrado) além de diversas outras unidades, por exemplo, grafismos e padronagens (patterns), utilizados na hora de criar as peças gráficas e demais ferramentas de comunicação.

Fortalecendo a imagem da sua empresa

Algumas das principais funções de uma identidade visual bem construída são destacar sua empresa no mercado, estimular o relacionamento com seu público e fortalecer a imagem de seu negócio. Quando uma marca é bem desenvolvida e consegue alinhar esses aspectos, é só uma questão de tempo para que sua empresa colha os resultados. Além disso, quando o projeto da marca é bem-sucedido a atração de clientes tende a aumentar consideravelmente. Afinal, “a primeira impressão é a que fica”.

Contratando um profissional

Agora que você já sabe a importância de uma identidade visual bem definida, não caia na besteira de contratar qualquer um, como o “sobrinho que sabe mexer com Photoshop”, para desenvolver o projeto. Caso não conheça nenhum profissional competente para criar sua marca, considere a contratação uma agência especializada, como, por exemplo, um escritório de branding (gestão de marcas).

E agora, o que acha de ajudar os colegas que ainda não sabem da importância de uma identidade visual bem definida? Compartilhe este post e não deixe de ler as 4 dicas para aumentar as vendas em 2016 que separamos para você.

7 dicas imperdíveis para tornar seu site mais atrativo!

Numa época em que a vida digital tem um papel tão importante e os consumidores estão acostumados a fazer tudo online, não dá para bobear e deixar o site com aquele visual anos 90, não é mesmo? Preparamos este post com algumas dicas práticas para deixar seu site mais atrativo e conquistar a confiança do público. Confira!

1. Tenha um design responsivo

Ter um site responsivo, aquele que se adapta a qualquer tamanho de tela, já não é mais diferencial, é requisito.

Então, você pode fazer o maior esforço do mundo e deixar o site uma maravilha, mas se alguém entrar nele usando o celular ou tablet e tiver que dar zoom a todo momento, dificilmente vai retornar.

2. Qualifique os textos

São tantos detalhes importantes a pensar na hora de otimizar um site que é possível esquecermos do mais importante: o conteúdo.

Por isso, invista na qualidade dos textos, em torná-los simples e fáceis de entender, de modo que possam atrair os visitantes a querer saber mais sobre sua empresa e contratá-la.

3. Siga um padrão

Seguir um padrão ajuda a passar a impressão de organização, transmite confiança e facilita a identificação dos visitantes.

Por exemplo, usar dois ou no máximo três tipos de fontes, seguir a mesma linguagem nos textos e usar a mesma cor para os links são detalhes que ajudam o público a perceber que ainda está no mesmo site.

4. Facilite a navegação

A navegação é que faz com que alguém encontre o que procura em um site, e se ela for complicada as pessoas provavelmente ficarão frustradas, perdendo o interesse no que buscavam.

Por isso, coloque menus de navegação em destaque na página, e também um mapa do site no rodapé. Assim, mesmo que não encontre algo de primeira, o visitante terá outra chance de se localizar.

5. Use imagens

Imagens bem escolhidas podem dizer bem mais do que muitas palavras. Com isso em mente, inclua aquelas que têm a ver com o assunto e ajudem a passar a mensagem desejada.

Isso também inclui ícones, úteis principalmente para destacar as redes sociais e canais de contato, bem como selos de segurança e outros.

6. Cuide da velocidade de carregamento

A velocidade do carregamento é um critério silencioso de escolha, já que todo mundo se importa demais com ele, mesmo sem perceber.

A realidade é que, com o avanço da web, estamos acostumados a navegar em velocidade cada vez maior, e um site rápido tem mais sucesso que um lento. Cada milésimo de segundo conta.

7. Não se preocupe só com beleza

Por último, muitas vezes você precisará decidir entre o que fica mais bonito e o que é mais funcional.

Sempre escolha o funcional, pois alguns elementos que elevam a estética atrapalham outros fatores que já citamos aqui, como a velocidade de carregamento e a simplicidade de navegação, comprometendo os resultados da página.

É essencial lembrar também que para deixar seu site mais atrativo, seguindo essas dicas, é preciso contar com a ajuda de profissionais qualificados, que saibam não apenas implementar as soluções necessárias, mas também acompanhar o progresso ao longo do tempo para fazer ajustes que otimizem os resultados.

Gostou dessas dicas para deixar seu site mais atrativo? Veja também como fazer isso com o seu conteúdo!

 

Você sabe como fazer um plano de comunicação e mídia?

Evitar erros, aumentar a assertividade e melhorar os processos são três dos grandes objetivos de uma empresa ao implementar qualquer tipo de planejamento em sua estratégia. No marketing, o plano de comunicação e o plano de mídia são fundamentais para direcionar todo o trabalho, manter a equipe sintonizada e garantir que os resultados sejam alcançados. No post de hoje, saiba por que é tão importante que ele seja bem definido e os principais tópicos que um bom planejamento deve abordar. Confira!

Desenvolva objetivos

Tudo começa com um problema. Qual é a sua necessidade? Não é possível encontrar soluções se você não analisar, antes de tudo, o que exatamente você precisa. Se o seu objetivo for aumentar a visibilidade de sua empresa, seu planejamento será bem diferente de um planejamento voltado para a conversão de potenciais clientes indecisos. A definição clara do objetivo deve ser o pilar inicial do seu plano de comunicação. Quanto mais conciso e mais específico ele for, mais fácil será desenvolver os próximos tópicos.

Determine os públicos envolvidos

A próxima etapa é definir quais públicos estarão envolvidos no processo. E, neste caso, há dois itens fundamentais na elaboração do plano de comunicação: definir para quem você vai falar e quem vai fazer o quê dentro da estratégia completa.

Para quem você vai falar

Público-alvo, persona, stakeholder. É muito importante definir quem você quer atingir com a sua mensagem. Se você não souber e não estipular para quem vai direcionar suas ações, o seu conteúdo ficará pouco personalizado. Pense da seguinte forma: se você tentar falar com todo mundo, vai acabar não chamando a atenção de ninguém. Tente ser específico e criar um “perfil” que você queira atingir nesse projeto. Esse passo vai conduzir todo o processo posterior.

Quem vai trabalhar em quê

Uma outra coisa muito importante a ser definida quando falamos em públicos envolvidos é a função de cada equipe, pessoa ou setor nas ações que serão realizadas. O direcionamento dos recursos humanos é importante para evitar que tudo seja feito e nada fique para trás. Já ouviu falar que “cachorro que tem dois donos morre de fome”? É justamente por isso! Se não for definido, exatamente, quem vai fazer quais coisas, você corre o risco de ter muitas pessoas dedicando energia a uma questão específica, enquanto outras serão deixadas de lado.

Defina os canais e as ações

A definição das mídias e dos canais utilizados (bem como o formato das ações e de outras especificações técnicas), vai depender bastante da definição do público-alvo. É muito importante identificar os meios que seu público mais utiliza, bem como a forma como ele se comporta com determinado ambiente. Em que horários ele interage mais? Que formato de mídia ele prefere consumir? Com que tipo de linguagem ele se comunica? Todas essas informações serão a base para definir as ações e os canais que serão utilizados durante a estratégia de comunicação.

Estabeleça um orçamento

Um plano de comunicação e mídia bem-feito ajuda a evitar surpresas desagradáveis na hora de pagar a conta — e um orçamento prévio bem planejado colabora para isso. Portanto, é sempre bom manter um olho no peixe e outro no gato! Sempre saiba o quanto você pode gastar e tenha um bom controle disso.

Agora você já está pronto para elaborar um planejamento conciso e eficiente! Que tal começar agora mesmo a fazer o plano de comunicação e o plano de mídia da sua nova estratégia em marketing? Tem alguma dúvida a respeito de alguma etapa? Comente abaixo, participe da discussão e não deixe de ler sobre como aumentar as vendas no e-commerce com conteúdo gerado pelo usuário.

 

Como aumentar as vendas no e-commerce com conteúdo gerado pelo usuário

O conteúdo é o elo entre as empresa e os cliente. E essa é uma verdade que também serve para o e-commerce. Um material rico e gratuito não apenas atrai a atenção do seu consumidor, ele também oferece uma experiência única aos usuários, agrega valor à marca e desperta a confiança do cliente.

Tratando-se de e-commerce, uma das formas mais fáceis de se obter o material ideal para o seu público é estimulá-lo a produzir conteúdo. Afinal, não existe ninguém melhor para ditar o tom da conversa do que os seus próprios consumidores. O conteúdo gerado pelo usuário (CGU) é, de muitas maneiras, o futuro do marketing de conteúdo voltado especificamente para o e-commerce. Parece um pouco confuso? Bom, vamos explicar melhor.

Como o conteúdo produzido pelo usuário pode gerar vendas no e-commerce?

Uma estratégia de marketing comum, por mais planejada e bem construída que seja, foca essencialmente na venda do produto ou do serviço. E isso não cola mais hoje em dia. É por isso que o conteúdo gerado pelo usuário funciona como um grande diferencial. Ele consiste, principalmente, no relato da experiência que os consumidores tiveram com a sua marca. Esse tipo de informação inspira infinitamente mais confiança.

Pesquisas, como a da iPerceptions, mostram que 63% dos compradores sentiram-se mais à vontade para comprar de uma loja online que trazia reviews de outros compradores. E isso comprova o que todos já sabemos: qualquer um sente-se mais seguro quando ouve opiniões positivas de outras pessoas que fizeram a compra, algo que a própria empresa não tem como manipular ou controlar. Essa tática agrega confiabilidade à sua marca, indicando que ela realmente acredita no seu produto e não tem receio nenhum em mostrar a opinião dos seus compradores. A opinião de um usuário é tão influente como a de um amigo. Na verdade, em termos de e-commerce, é até melhor, porque proporciona uma alta taxa de conversão.

Como o conteúdo gerado pelo usuário aumenta a conversão?

A ansiedade na hora da compra é um dos principais motivos de desistência. Esse sentimento é todo criado ao redor do medo de que o produto não seja realmente aquilo que se espera ou pelo medo de que o investimento não valha a pena. Os compradores realmente se arriscam na hora de realizar uma compra online e a insegurança é compreensível.

Por isso, o conteúdo gerado pelo usuário deve ser utilizado de forma inteligente, com o objetivo claro de fazer os cientes em potencial sentirem-se confiantes e converterem-se de fato em clientes. Segundo a Reevo, exibir as avaliações dos consumidores pode aumentar em até 18% as vendas de uma loja online.

Então, curioso para começar? Separamos abaixo algumas medidas consideradas simples e que podem ser um ótimo ponto de partida. Confira:

Exiba avaliações nas páginas dos produtos

As avaliações são a forma mais simples de Conteúdo Gerado pelo Usuário, pois são fáceis de serem obtidas e exibidas. Você pode colocar um sistema de notas e expor os comentários abaixo do produto – de forma visível e organizada.

Destaque as perguntas e respostas mais frequentes

Utilizar as respostas das perguntas mais frequentes (FAQ) realizadas pelos seus compradores é outra forma inteligente de incluir o CGU no seu e-commerce. Assim, os novos compradores podem consultar esse pequeno guia todas às vezes que estiverem em busca de respostas para questões comuns, como “essa roupa veste bem?” ou ainda “o recebimento foi dentro do prazo?”.

Agregue imagens dos seus produtos sendo utilizados na prática

Uma das coisas que mais chama a atenção dos clientes é o funcionamento do produto na prática. Por isso, uma ideia muito legal é acrescentar as fotos dos seus produtos sendo utilizados pelos seus clientes. Essa é uma maneira incrível de reproduzir para os potenciais compradores exemplos reais do seu produto em uso de forma transparente. Será o fim das inseguranças com as compras online – ou de grande parte delas.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre o tema, confira 7 coisas que você precisa saber sobre SEO.

3 dicas para tornar seu conteúdo mais atrativo

Muitas pessoas acreditam que um bom conteúdo será capaz de chamar atenção por conta própria. Porém, com a competição aumentando cada dia mais e a atenção das pessoas se tornando cada vez mais difusa — uma pesquisa da Microsoft revelou que o período de atenção das pessoas caiu de 12 segundos, em 2000, para apenas 8 atualmente —, até mesmo o melhor dos materiais precisa de uma ajudinha.

Por isso, separamos 3 dicas para tornar o seu conteúdo mais atrativo. Continue lendo e confira!

Garanta a escaneabilidade do texto

De acordo com a pesquisa que mencionamos na introdução, o seu conteúdo tem apenas 8 segundos para captar o interesse de um potencial leitor. Por isso, é preciso que ele entregue o máximo de informação no menor tempo possível — e a melhor maneira de fazer isso é aumentando sua escaneabilidade.

Esse conceito diz respeito à facilidade que o leitor tem de captar informações apenas passando o olho pelo seu texto, ou seja, escaneando-o. Para garantir a escaneabilidade do conteúdo, sempre inclua intertítulos e evite fazer parágrafos excessivamente longos. Além disso, prefira usar algarismos em vez de escrever os números por extenso e faça uso de bullet points e marcações no texto, como negritos e itálicos.

Produza conteúdo de relevância

Se o seu texto for bem escaneável, um simples passar de olhos vai ser o bastante para dizer ao seu leitor se o conteúdo apresentado tem relevância para ele ou não — e, se não tiver, ele não vai ser dar ao trabalho de fazer uma leitura mais aprofundada.

O primeiro passo para produzir um conteúdo relevante para seu público-alvo é conhecê-lo bem. Só assim você vai ser capaz de entender o que ele está buscando na internet e ir ao encontro das suas necessidades. Depois de acertar o assunto, é preciso garantir que as informações que você vai trazer sejam novas e realmente acrescentem algo ao seu público. Se, ao correr os olhos pelo texto, ele perceber que as dicas elencadas não vão além do senso comum, ele não vai se sentir compelido a continuar lendo.

Por isso, o passo seguinte é fazer uma boa pesquisa sobre o assunto, a partir de fontes confiáveis e ricas, para ser capaz de trazer algo novo ao seu conteúdo. O grau de aprofundamento que você deve dar vai depender do conhecimento do seu público: é preciso encontrar o equilíbrio entre um texto raso demais, que não desperte atenção, e um texto muito complexo, que confunda o leitor.

Use boas palavras-chave

Até aqui, falamos de como convencer o usuário a ir além de uma corrida de olhos e realmente ler o seu texto. Mas como fazê-lo encontrar o seu conteúdo? Para isso, é preciso investir em estratégias de SEO (Search Engine Optimization, ou otimização para motores de busca). Existem muitas estratégias para fazer com que seu site seja encontrado no Google, mas uma das primeiras — e que está diretamente relacionada ao seu conteúdo — é a palavra-chave usada, ou seja, o termo que o usuário digitou para fazer uma pesquisa na internet.

Os buscadores usam as palavras-chave para entender o que o usuário quer encontrar e se o seu conteúdo tem relevância para ele. Já houve um tempo em que quanto mais vezes o termo buscado aparecesse no seu texto, mais chances ele teria de aparecer em primeiro no resultado das pesquisas. Porém, os buscadores refinaram seus algoritmos e atualmente a prática de repetir várias vezes o mesmo termo — chamada de “keyword stuffing” — pode na verdade ser prejudicial. Hoje, o Google é capaz até mesmo de entender algumas variações sintáticas (como plural ou o uso de preposições) e semânticas (como o uso de sinônimos) nas palavras-chave.

Algumas ferramentas, como o Keyword Planner, podem ajudar a definir qual palavra-chave deve ser trabalhada. Essa ferramenta, do próprio Google, te mostra quantas buscas são feitas para cada termo, qual é a concorrência (ou seja, quantas páginas estão trabalhando essa palavra-chave) e te dá sugestões para o assunto desejado.

Com cada vez mais conteúdo sendo produzido todos os dias, é fundamental conhecer as estratégias para captar a atenção do seu público e se destacar. Ficou com alguma dúvida? Deixe seus comentários e não deixe de conferir nosso artigo sobre o porque investir em mídias sociais.

 

  • 1
  • 2
Facebook
Instagram
Tweeter